.

22 de setembro de 2015

Hoje o dia esta vestido de saudades...

 
 
Hoje o dia esta vestido de saudades...
Minha alma percorre caminhos vividos...
A saída era revivê-los...
E o cheiro da saudade é forte...
Não é a saudade da menina...
Nem a saudade da mulher...
Que saudade é essa...
Que toca a minha pele e sinto...
Minha fragilidade sendo ameaçada...
Como faltasse um pedaço...
Nesse jogo da vida...
Mostra-se e some...
Um inquietante sentimento...
Deixando a alma desconfortável...
Caminhos que percorri...
Que não foram suficientes...
Para sentir inteira... Plena...
Quero matar a saudade...
E chegar ao topo da felicidade...
Que ela seja clandestina... Mas...
Que seja inteira...
Quero me jogar sem medo...
Sem medo do final...
Que a minha vida seja feita...
De saudade e vida...
Que a felicidade chegue...
E se instale na alma...
Que o cheiro da saudade...
Se transforme no mais doce...
Perfume da flor colhida
Pela minha vida...
Felicidade eu te ofereço...
O meu melhor...
O meu ser...
E que seja a minha saída... 

*Elaine Coletti*