.

23 de agosto de 2015

Dor de minha alma

Dor de minha alma

Lateja minha alma de saudades
tormento de quem viveu momentos felizes e foram arrancados sem compaixão
o acaso talvez...
pela metade do que fomos ...
a paixão que partiu!

Desencantei
foi extinta a chama ardente
os olhos molhados insanos deste ser que ainda te ama

Lágrimas que derramei... aguas que rolaram e que não pude esconder!

Ah! Tristeza que dói...meu coração corrói deste louco amor que viveu alienado em ti dependente de teus sentires derramado...

...e qual cinzas espalhado
voando ao vento...levado pela brisa
tragado pelo mar...

E eu, tentando recolher
os pedaços ...na amargura
dos longos dias à espera de ti!

*CELINA VASQUES*