.

27 de outubro de 2014

Para ti


Para ti

Que me olhas e atiças
Com teus olhos enamorados,
Me lembrando...
Momentos passados
Para ti que,
Com beijos lavas meu pranto
Teu olhar me acaricia e seduz
És na negrura da minha vida...
Porto de abrigo, aconchego e guarida
Para ti que,
Me fizeste redescobrir a vida
Gostar de mim e sentir-me desejada
Sentir as gotas do teu sorriso...
Em mim pousadas, simples palavras
Por ti pronunciadas.
Palavras belas e encantadas...
Como papoilas aladas
No meu corpo deslizam ternamente
Na minha alma penetram...
E te fazem presente.
Para ti,
Aqui deixo, palavras baralhadas,
Impregnadas de ti e de mim...
De sentimentos, amor e gratidão,
Cultivadas no jardim da nossa paixão.

Maria Irene Frieza