.

17 de maio de 2014

‘SOU’





‘SOU’

Na penumbra... 
Aqueles momentos
em que me fecho... Em pensamentos
em que tudo sou, e nada sou
a introversão a que me dou
sou como as ondas do mar
sou como uma flor, 
num jardim a desabrochar
sou como a luz... 
Que luz, que se apaga.
Sou tudo... Sou nada
sou peregrina da vida
na Fé, sigo meu caminho... Encantada
sou tudo... não sou nada
Sou a vontade, a liberdade
O estímulo que me gere
Sou a alegria de mim, 
O obstáculo de quem me fere
Sou tudo... 
No amor de quem me quer
Amo a palavra amar,
Um desanuviar, de encantar

Abram portas, para o meu olhar
Fermenta a minha vontade 

Uma vontade reciproca de recingir
De liberdade... De fluir

Entre sorrisos e lágrimas 
Sublime é a minha verdade, 
Imenso é o empenho, na palavra
Paz e Felicidade

Florinda Dias.