.

24 de agosto de 2013

Sobrevivi...ao tempo!




Sobrevivi...ao tempo!

Escuto o silencio do mundo... 
Calou- se entorpecido 
Pelo marulho do mar! 

Esquecia-me de ti no sibilar dos ventos 
que cantavam 
Com vozes longínquas quais vendavais de dor... 
Verdadeiras cantigas de um amor perdido 
Dilacerado... Fragmentado... 
Só sobraram restos de um viver... 
Pequenas memórias no meu ser! 

Mergulhei no teu mar profundo fui até 
- a tua essência - 
Nada encontrei apenas a tua ausência... 
Não me bastou à ilusão da hora dos 
Sonhos aprisionados neste mar de ilusões! 

Girei no tempo 
Regressei... Plantei o perdão 
Colhi sonhos perdidos... Esquecidos... Adormecidos 
Vi então crescer a minha voz e na ansiedade 
Da delirante paixão... Sobrevivi 
Ao tempo que me Viu chorar... 

celina vasques