.

27 de agosto de 2013

Aqui, no escuro



Aqui, no escuro 

Aqui, no escuro,
Só a tua luz ilumina
O meu redor.
Quando vens,
Tudo clareia,
Como no principio do ardor
No mundo.

Por vezes,
Aqui no escuro,
Procuro-te com o meu luar
E observo-te nas nuvens,
Onde esta presente
O teu aroma
Que não consigo cheirar.

As vezes,
Remetido aqui, na escuridão,
Procuro nas estrelas
Toda a tua essência
E na essência efervescente
Do teu ser,
Apago as estrelas,
Quando não te consigo ver.

Assim,
Aqui no escuro,
Espero e desespero,
Que as estrelas cintilem,
Que os cometas possam brilhar,
Que o sol se junte a festa
E que possam criar,
O mais lindo concerto de luzes,
Para que, entre o escuro,
Te possa vislumbrar.

RP/Rogério Carreira