.

30 de junho de 2013

Não entendo...



Não entendo...

Como a vida que é tão bela
Maltrata-nos sem piedade...
Às vezes penso que um é sonho
Porem em sonhos não corremos riscos...

Se o medo não fosse tão meu amigo
Seria mais fácil conversar com a loucura
E me aventurar no improvável
Provando o que nunca deveria....

Você me prende, sem algemas
Encanta-me, sem magia
Faz-me entender o inexplicável
Tudo porque, você apenas existe.

Por: Fulvio Ribeiro