.

17 de novembro de 2012

O VOO DA IMAGINAÇÃO



O VOO DA IMAGINAÇÃO

Curtas, médias ou longas
Não delimito as minhas linhas
Não cerceio a minha imaginação
Que tem um lindo par de asas
Para voar por onde quiser

Se ela paira em meio a alegria
Absorvê-la eu irei com sorriso franco
Se ela paira num turbilhão de tristeza
Afundo-me com ela, mas sem morrer

Sobrevivo aos voos que ela faz
Conheço universos paralelos
Enriqueço o meu conhecimento
Do que fui, do que sou, do que serei

Sou um portal aberto
A captar plurais energias
Sem saber quando de lá sairei

Sou a liberdade que trago no peito
Que verbaliza em bom som
Sou a prisão momentânea do meu eu
Silenciada pela profunda crueldade

Não julgo os caminhos por onde passo
Vivencio as experiências bilaterais
Ouço as vozes firmes e potentes
Que fazem da criatividade

Um alento
Um afago
Um conselho
E meu espelho.

Patrícia Pinna