.

29 de agosto de 2012

NATURALMENTE!


NATURALMENTE!

Preciso agir naturalmente
E não fixar-me em outras vertentes
Sou o que sou autenticamente
Não posso e nem quero ser diferente

Quando tento
Eu sempre me arrebento
Sou a digital da minha alma
Personalidade única
E em conhecimento

Conhecer outras almas é interagir
Isso eu adoro fazer sem de mim fugir
Amo, sorrio, choro, grito e imploro

Inconscientemente sinto que imploro carinho
Parece contradição se sei que faço
Mas as pessoas que eu não abraço
Sinto tristeza pela ausência do laço

Sou a nudez, não nego
Prefiro esse estado descoberto
Do que os véus cobrindo o meu ser
Quero rasgá-los, descortiná-los

Não preciso dessa proteção
Eu amo da alma a exposição
A liberdade de expressão
De ir, vir e poder falar
Escrever o que sinto
Não rebuscar para demonstrar ser

Alívio imenso sinto agora
Acontece que eu tirei um peso
Da minha inesquecível memória

Se estranho puder parecer
Não há nada que eu possa fazer
A não ser soltar o meu prazer

E o meu prazer é esse:

AMAR, VIBRAR
INTERAGIR, OUVIR,
ESCREVER, LER
COMENTAR, DOAR
SORRIR, EMERGIR
CANTAR, CALAR
RIMAR OU NÃO

Ser eu mesma é o melhor deles
Sinto-me liberta, viva e corajosa
A defesa que tenho internamente
Exterioriza as minhas reações

É sangue corrente nas veias
É o ar sem poluição que respiro
É o grito que solto sem culpa

Ser natural, é a vida dentro de mim
Que tento passar na minha jornada terrestre
Procurando aprender sempre com o Mestre!

Patrícia Pinna.