.

23 de abril de 2012

"Indescritível"

"Indescritível"

Como descrever certos momentos... Sentimentos
Abrem-se buracos imensos no peito... Tristeza presente
É um misto de saudade do amor e minha constante dor
Desalentos seguidos que me arrebatam do universo

Como descrever essa falta de sentidos... Silêncios contidos
Na alma um desvario temporário... Solidão momentânea
Certos e errados misturados... Cores sem pigmentos
Esse mesmo dia-a-dia em preto e branco... Resta a poesia

Descreveria poesia... Escreveria poesia... Dormiria poesia
Mas apenas esse respirar ofegante me invade... Palavras
Ditas e desditas... Gravadas e esquecidas... Nos livros
E nas paredes de uma caverna... Onde acordo pasmo

Sem saber se a noite vai voltar... Tenho estrelas guardadas
E preciso libertá-las para voarem no firmamento... Brilhar
E iluminar minha sombria sensação... Obscuro momento
Descrevendo a poesia... Escrevendo poesia... Adormecendo

E os gestos estão misturando-se com os vultos que resolveram partir
Mas me deixaram descrever meus sonhos...

Jonas R. Sanches