.

22 de fevereiro de 2012

Revolta da Alma...

Revolta da Alma...

Minh’alma se rebelou,
Aliou-se ao meu coração
Que á tempos não é meu,
Juntos, querem me entregar ao Amor.

E agora? O que faço com essa alma,
Que dando ouvidos a um coração apaixonado,
Deseja andar pela estrada conhecida, que todos desconhecem.
Escute-me alma, esse coração é tolo.

Disse eu a minh’alma:
- Vem, volte ao meu domínio,
Olhe como esta o coração!
“Vive” destruído, por querer amar...

Ao que ela me disse:
- “NÃO! Te levaremos ao Amor
Ainda que chegue lá destruída igual o coração,
Quando chegar lá, saberei o que é estar ‘Viva’...”

Fulvio Ribeiro