.

19 de fevereiro de 2012

Por vezes...só por vezes

Por vezes...só por vezes

Por vezes sou menina...por vezes me ilumino...sou ternura
Por vezes sou bruma...por vezes toco o céu...sou claridade
Por vezes sou ave...sou a asa...que pousa em ti na noite escura
Por vezes...só por vezes...sou um doce momento de felicidade

Por vezes não me sou...não me conheço...perdi-me do meu olhar
Por vezes...procuro-me nas madrugadas... mas sou apenas grito
Por vezes...visto-me de vento...perco-me nas ondas...sou mar
Por vezes...só por vezes...procuro-te meu amor...no infinito

Por vezes sou o cio da terra...sou a noite...o luar...a loucura
Por vezes sou chuva...sou vendaval...sou o raio e o trovão
Por vezes...um resto de sol...envolve meu corpo em ternura
Por vezes...só por vezes...o teu olhar...despe-me a solidão

Por vezes sou as mãos...sou a ausência...o vazio...o abraço
Por vezes sou o tempo...que passa breve...que corre lento
Por vezes sou a sombra do vento...por vezes apenas cansaço
Por vezes...só por vezes...o amor toca em mim um momento

Por vezes sou mágoa...sou rio...uma palavra gasta pelo tempo
Por vezes sou o nada...uma pedra no caminho...a imensidão
Por vezes sou o tempo obscuro...que corre triste...caminha lento
Por vezes o cansaço...as horas que se arrastam...a eterna solidão

Por vezes olho o meu sonho...não sou o sonho...sou o pesadelo
Por vezes há uma linha invisível...a distância...o abismo...o nada
Por vezes fecho os olhos...sorriu à noite...que vela meu desespero
Por vezes....só por vezes...sou a luz...na escuridão da madrugada

ROSAMARIA