.

2 de janeiro de 2012

Divagando


Divagando

Devoram-me todas as dúvidas nesse universo de incertezas.
Divago sobre possibilidades que não me pertencem, posto que o futuro ainda não é meu.
Disfarço em cada vivido momento presente, e me nego que por mais que tente, não consigo retornar ao caminho que já se perdeu.
Perco-me em multidões que me estranham, me desconhecem... Mas me acalmo em um abraço solitário de minha auto-aceitação.
Despeço-me de certos medos, mas assumo uma eterna angústia, única emoção que persiste em me acompanhar.
Insisto em ser apenas eu, e grito ao mundo para que nada esperem daquela que hoje sou.

Pois todas as minhas buscas, já são por si só, minha própria espera de mim.

Gil Façanha