.

3 de dezembro de 2011

Ilusão do tempo


Ilusão do tempo

O tempo levou o amor e de mim o afastou,
Trago a tristeza que ficou em meu rosto,
Das horas de amor que o tempo gastou,
Dos seus lábios ainda conservei o gosto.

Olhando as horas, sinto esse desgosto,
Dos sentimentos que trago em mim gastos,
Das minhas feridas, algo que foi imposto,
Inverdades que correram soltas, nos pastos.

Que deixei passar, como uma ferida.
Que ficou viva, se consumindo na vida.
O tempo fingiu curar, uma grande mentira!

Ele passou por mim, sem encontrar saída.
E mesmo com o seu amor, me vi traída,
De uma doce ilusão, isso o tempo não tira!

Betânia Uchôa