.

23 de outubro de 2011

PORQUE ME CATIVAS


PORQUE ME CATIVAS

Diante do teu olhar encantado, derrubo as muralhas que por tanto tempo cultivei. Meus sentidos reverenciam a atenção que me concedes e a cada bom dia, mais um sol nasce do meu sorriso anoitecido pela saudade. Há em teu toque quase real, um quê de um desejo diferente.... Desses que invadem corpo, alma e mente.
Mas ao abrir da janela por onde te deixo entrar nesse paraíso que se perverte ante aos pecados teus, sinto-me invadida por um sopro de promessas curtas, que feito furacão te leva da minha presença. E como quem acorda de um dèjá vi, parada nesse mesmo lugar, percebo que tu, como quem planta flores sem a intenção de regá-las, se vai como quem nada fez, como quem nada disse.
Feito miragem, te vejo ao longe transformando-se em horizonte sem nunca olhar de verdade, a paisagem na qual me transformei. E na repetição dessas horas, sorrindo quando chegas e entristecendo-me quando vais embora... A cada novo por do sol, renasce a mesma interrogação:

- Afinal de contas... Porque me cativas?

Gil Façanha