.

26 de outubro de 2011

Minha alma anda precisando de calma




Minha alma anda precisando de calma
Inquieta por incertezas
Incomodada pela morosidade do tempo
Inconformada pela dubiedade das palavras
Minha alma anda precisando de música
Essa que agora ouço
Transportando-me para as notas
Que soam com o êxtase sentindo
Na inserção no paraíso
Minha alma anda precisando de amparo
Uma só palavra
Toda diferença faria
Contudo, inevitavelmente
O tempo discorre lento
Das certezas germinam dúvidas
Das palavras só resta o vácuo
Do amparo transbordam lágrimas
Solidão velada
Minha alma entrega-se a silêncio
Som que inspira
Insinua possibilidades distantes
Sinfonia que soa como se vida fosse
Se me faltasse significado
Inseriria em cada nota a esperança
Serenamente rogando calma
As dores que me assaltam a alma.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer