.

11 de outubro de 2010

CONCEIÇÃO GONÇALVES:


“LONGOS SÃO OS CAMINHOS”

Conceição Gonçalves nasceu a 1º de Janeiro de 1968 em Frossos, uma pequena aldeia nas margens do Vouga, distrito de Aveiro, em Portugal. Reside atualmente no Luxemburgo, no centro da Europa, onde divide o tempo com a sua ocupação profissional, a família a leitura e a escrita.

Participa em vários sites de poesia e literatura, criou um site ligado ao “eterno feminino”. Participou em duas antologias de poesia “tu cá tu lá” e “Pecados Capitais”.

Conceição Gonçalves lança no próximo dia 30 de outubro o livro “Longos são os caminhos”.

Sobre o Livro:
Neste livro “Longos são os caminhos”, a autora revela e partilha com os leitores as descobertas e reflexões que foi fazendo sobre si e sobre o sentido da sua vida desde o início da caminhada.

Os nossos caminhos cruzaram-se num tempo em que a autora ainda não tinha iniciado a sua reinvenção e recordo-me de assistir à sua vontade de crescer e à alegria que sentiu com a descoberta das palavras, muito antes desta paixão se ter tornado o centro da sua vida e o instrumento essencial dessa reinvenção.

Esta é a caminhada constante feita palavras de uma rapariga meiga, lutadora e esperançada, que ao longo de destes últimos vinte anos conduziram-na por caminhos que lhe trouxeram metamorfose e reinvenção, transformando-a numa mulher segura, determinada e livre. A estrada levou-a por caminhos, ora tristes ora alegres, que a fizerem repensar na magia das palavras, nos segredos do seu corpo, na riqueza dos seus sentimentos, nas memórias guardadas, na essência da sua alma e na procura dos seus sonhos.

Todos os textos de Conceição Gonçalves podem ser encontrados no seguinte site:
http://www.luso-poemas.net/modules/news/index.php?uid=3659


As Minhas Palavras

As palavras que me descrevem são tão simples
que se perderiam neste rio onde navego,
queria fazê-las ser barco
e andar a deriva pelas levadas dos meus sonhos
e atracar num mar de significados
que me poderiam reinventar.
Ai seria livro ,uma historia de encantar.
há ! este rio em que me estendo
livro aberto ainda em branco,
sulcos cravados na folha virgem ,
metáforas vivas do meu ser.
palavras em sentimentos
deixadas ao todos que quisessem ler.
Seria um romance das vidas já vividas
um conto fantástico das vidas por viver.
E seria um longo caminho
onde estenderia as pétalas da minha poesia,
sonhos feitos palavras descrição de alma que se procura.
E seria uma semente de sonhos
Lançada em terra virgem
Florescendo nas primaveras
Das gerações do futuro.

Conceição Gonçalves