.

3 de agosto de 2010

JACK BOSMANS:


JACK BOSMANS: O PAI DA “POEMAGEM”

Arthur Jaak Wilfrid Bosmans, ou apenas Jack Bosmans, nasceu em BH, Minas Gerais.

Começou seus estudos de piano clássico aos 7 anos, optando mais tarde pelo rock e pela MPB,quando participou de algumas bandas e compôs junto com o poeta e amigo Adão Ventura, algumas canções para o Festiva Estudantil da Canção.

E foi, justamente através de Adão Ventura, que Jack interessou-se pela literatura e começou a escrever, sendo então convidado a ser um dos colaboradores do Suplemento Literário do Minas Gerais.

Concomitantemente, surgiu o interesse pelas artes plásticas, ingressando na Escola Guignard. Logo depois, ingressou para a faculdade de Engenharia, para cursar Mecânica.

Seu primeiro emprego, foi como câmera-man da extinta TV Itacolomi. Nesse mesmo período, realizou um curso da Academia Mineira de Letras, a convite de Murilo Rubião. Interessou-se pela força da imagem e ingressou na Publicidade, onde criava e dirigia comercias.

Na sequência, dedicou-se ao cinema, indo para Bélgica, onde concluiu o curso de Diretor e produtor cinematográfico. Voltou para o Brasil, em 1976, mas encontrou dificuldade em abrir campo para a produção cinematográfica própria, passando, então a se dedicar à publicidade, onde conquistou vários prêmios nacionais e internacionais.

Até então, seus poemas eram apenas engavetados. Em 2002, convidado para dar aula de cinema na UNITRI, conheceu a Professora Drª. Kenia Maria de Almeida Pereira, do curso de literatura, que um dia vendo seus poemas o incentivou a desenvolver mais ainda esse lado.

Criador do movimento POEMAGEM em 2002, é hoje chamado o “pai” da Poemagem, com diversos seguidores não só no nosso país como na America Latina e Europa. Com toda a bagagem adquirida, Jaak criou o curso de especialização “O cinema e a literatura na sala de aula”, na mesma universidade, onde foi professor e coordenador. Ali desenvolveu junto com os alunos vídeo poemas, como trabalho final do curso, obtendo sucesso imediato, pela novidade e tendência do momento.

A poesia começa a tomar mais força, como seu principal trabalho profissional, em 2004, quando recebeu muitos elogios e teve seus poemas inseridos em vários sites especializados, junto a consagrados poetas. Com um estilo bastante vigoroso e surrealista nunca deixou de transparecer a ternura, a solidão, o abandono, seus conflitos internos e sua “não” relação com o mundo.

Seus poemas estão no Recanto da Letras e Colméia Literária. Os internautas, através do Google, também encontrarão diversos trabalhos de Jack Bosmans.

Antologias:Latinidade Poética, Delicatta IV, Coração de Poeta (a sair), e em várias comunidades poéticas.

Atualmente, faz palestras e oficinas sobre poemagem, tendo sempre como objetivo um mix dos diversos meios visuais e textuais na composição poética.

É o atual Presidente da Academia de Artes Letras e Cultura “Maestro Arthur Bosmans”, Vice presidente da Universidade Planetária do Futuro, Coordenador do Núcleo Artforum Brasil XXI de Belo Horizonte e Cônsul Poetas Del Mundo B. Serra

Links:
http://academiadeartes-maestroarthurbosmans.blogspot.com/
http://www.poetasdelmundo.com/verinfo_america.asp?id=5366
http://www.avspe.eti.br/biografia2010/JaakBosmans.htm
http://muraldosescritores.ning.com/profile/ArthurJaakWilfridBosmans
http://www.blogger.com/profile/12330292783685540414

NO ENCONTRO DE NÓS DOIS

No encontro de nós dois
Despi-me das armaduras e me revesti de desapegos
Não te queria. Pra que te ter?
No encontro de nós dois era importante que continuássemos dois
Não encontramos pedaços perdidos de nós
Encontramos inteiros que podemos amar.

No encontro de nós dois
Abriu-se uma fenda na paisagem daquele por de sol
Não te queria em despedidas nem mesmo em reencontros
Cada amanhecer me pertencia e eu te oferecia em bandejas,
Ainda na cama, os primeiros raios da luz.

No encontro de nós dois
Teve lua, teares de estrelas, e convite pra ser feliz.
Beijos com um só riso, e me aconcheguei logo, em quase nada.
E que era tudo.
Me desfiz em lágrimas, e colhi-as nas mãos,
Só pra jogar pro alto e vê-las se transformando em brilhos.

No encontro de nós dois
Grandes cavalos alados e pequenas gotas de vento
Transformavam cada palavra em vestimentas de ternura.
Foi assim que se deu em mágicas, aventuras, e sonhos
O encontro de nós dois.

Jaak Bosmans