.

20 de maio de 2010

MARISA TORRES:


A POESIA QUE NASCE DA ALMA

Marisa Torres é piauiense, mãe de três filhos, a quem se refere como “minhas paixões...”

Reside em Aracaju, lugar que considera “meu pedacinho de céu”.

“Um coração casado e apaixonado imensamente”. Casou-se aos 15 anos e com 16 já tinha seu primeiro filho, porém separou com apenas 23 anos.

Tudo na vida desta brilhante poetisa foi precoce.

Costuma dizer que, ao contrário de muitos ou quase todos os poetas, não tem formação literária nenhuma.

O seu maior orgulho é ter vencido, ser uma pessoa amada e ter conquistado o seu espaço a mando de Deus.

“Assim como um poema nasce da alma você sente quando ele é fabricado”, enfatiza Marisa.

Pretende lançar o seu livro até o final do ano, não que seja algo que ela se cobre. “Cobram-me, meus admiradores”.

E para todos que admiram Marisa Torres, ela agradece da maneira como mais sabe fazer, em forma de poesia.

Marisa Torres:

Recanto das letras
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/hadman

Blog pessoal
http://poesiasdemarisatorres.blogspot.com/

Revista de Antonio poeta
http://poetisamarisatorres.blogspot.com/

Jornal o Rebate
Quem é Marisa Torres?
http://orebate-sandradealmeida.blogspot.com/2009_09_01_archive.html

Emails...
marisapoesiastorres@gmail.com
marisapoesias@gmail.com


MEU NOME É AMOR

Eu sou amor

não quero glamour

Sou eu a frase bonita

de uma canção.

Não quero aplausos só quero

cantar ao mundo o que

minha alma pedir.

Não faço cobranças grito o

que me aperta o peito para

quem quiser ouvir.

Eu sou o vento que queima a face

em tardes de verão.

Sou eu o amor que queima

em brasa quem

me seguir.

Sou a paixão que

fala alto quando se perde

a simplicidade da emoção.

A paz que dita palavras doces

em tudo que sou capaz.

Traço sem medo sem buscas

de tradução o que tu

chamas de segredo.

Sou eu o amor sem interesses

nas palavras sem

compromisso e sem

traspassas.

Meu nome é amor...

Sou desejo sem culpa

como a noite de luar.

Sou também a capacidade

de falar tudo que não

sou capaz de ouvir.

Sou um peixinho ou tubarão

sou maré mansa ou ondas

furiosas em alto mar.

O elo gigante da alma de amantes

que queima em fogo ao se deitar.

Sou eu o amor que canta

profundo sem nada

pedir.

Marisa Torres

Maria Catherine