.

15 de março de 2017

Meu mar



Meu mar

Um mar nos separa
um mar nos separou 
por um infinito de coisas
que alberga este imenso mar.

Enquanto tu
procuravas conchas
para me embelezar
eu já navegava 
numa folha de cartão.

Quando tu 
esperavas o meu naufrágio
já eu estava agarrada ao barco
que me trouxe 
até este mar.

Mesmo assim
Sei que guardas 
as conchas e todas as areias 
que foram marcadas pelos meus pés.

E eu como tu 
também guardo o teu mar imenso 
onde naveguei
e por onde muitas vezes
também naufraguei.

[Maria Morais de Sa]

11 de março de 2017

Ausência da ausência



Ausência da ausência

Existe o longe e o perto?
Vejo-a em todo lugar,
trancado, ou em campo aberto,
ausente, nunca está.

Vejo você, sem você,
beijo-a, e trocamos carinhos,
na noite ou no amanhecer,
jamais, fico sozinho.

A física, não sabe explicar,
é a anti-matéria.
Anti-horário, é o seu caminhar,
limite, há muito, já era.

Ausência da ausência é o amor,
energia da divindade.
Onde, o encontrar, encontrou,
presença da irrealidade.

Pedro Ramalho.
(Poeta, membro da Academia de Cultura da Bahia)

11 de janeiro de 2017

Da inocência de então nada mais resta





Da inocência de então nada mais resta
Até as flores perderam o viço
e o branco desbotou
nos ombros carrego o peso da vida
e nos olhos as alegrias e as tristezas
que a mesma me concedeu
nos braços a mesma força
e nos olhos a mesma candura de sempre
Talvez falte a frescura
dos meus 20 anos
mas nem o tempo apaga aquilo com que nasci
Batalhadora e guerreira
hei-de ser a vida inteira
nem que os braços me tombem
e as flores acendam labaredas de tristeza
O caminho é o mesmo!
Só os sapatos mudam!
Talvez mude o trilho mas nunca o objectivo
SER FELIZ!
De qualquer jeito
com quem tiver de ser
Importa é não perder
esse halo no peito
que se sente quando se inspira
e se percebe
que a VIDA
sempre esteve ali...
Fomos nós que a perdemos de vista
por breves instantes!


*são reis *
(11jan17)

9 de janeiro de 2017

O teu Silencio....


O teu Silencio....

Este pensar em ti a cada segundo
Quais anseios de alento infindo e de
Um ultimo beijo que te dei...
Nossos segredos ficaram ocultados nas noites
De esse amar com ares antigos... E nostálgicos
E entre ritmo febril da essência
Onde o pranto não dilacera a saudade...
Tua voz calou-se... Então eu te perdi...
Vou amargando os temores do silencio
- murmúrio secreto e indivisível -
E assim o sonho se perde na lembrança do tempo!

* Celina Vasques *

5 de janeiro de 2017

Mas, eu te espero_


Mas, eu te espero_

Olho ansioso para o relógio a cada segundo 
vejo o tempo passar tão lentamente e junto
com ele, passam os momentos 
que poderíamos estar vivendo a nossa 
historia. 
Sabe quando se sente com a alma, 
o vazio incompreendido da vida 
com a ausência de alguém... 
Sinto-me assim. 
Como algo que por descuido foi deixando 
se perder, mas não posso e nem quero. 
Para livrar-me de pensamentos que atormentam, 
recolho em mim 
e fico tentando arrumar a bagunça 
do meu coração 
que apesar de tudo, 
insiste 
em querer-te, mesmo apesar das ausências tuas. 
Penso em ti, me vem um sorriso de ternura 
que de alguma forma preenche o vazio 
da incerteza que ora está em mim
mas, que me faz ter certeza que eu te amo. 
Abafando o som barulhento do meu silêncio 
que é ensurdecedor sem você mas, 
eu te espero. 
Desligo-me do mundo, ouço uma música relaxante.
Amanhã estaremos juntos.

_____Joe Luigi
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98).

9 de novembro de 2016

SE JÁ TE ESQUECI SE JÁ TE ESQUECI?



SE JÁ TE ESQUECI

SE JÁ TE ESQUECI?

A tarde arrasta a sua languidez
Devassa manhã que se apressa
A hora oportuna talvez
Porque ao esquecer recomeça
Tudo outra vez

Se já te esqueci
Os dias todos repetidos
O tempo de todos os sentidos
E a crucial insensatez
Do que senti

A vaga esperança de coisa nenhuma
A névoa mansa no seu caminhar
As saudades que já fingi
As lágrimas uma a uma
A humedecer olhar
A ficar aqui
musa

1 de novembro de 2016

Prometo-me_



Prometo-me_

Eu prometo tirar-te daqui de dentro
e te esquecer para sempre.
"Mas querer não é poder" e vejo-a
me sorrindo sem eu querer.
Eu prometo você não ser o meu
primeiro pensamento a cada amanhecer
mesmo que eu tenha de não acordar,
ou quando acordar, cantar bem alto
para não pensar em ti.
Quero tira-la dos meus pensamentos,
que rouba-me a paz a todo momento
que me deixa maluco, meio fora do ar.
São tantas promessas que me faço,
que cansei de tentar.
Então eu te peço colabore comigo,
ensine-me esquecer-te...
Até parece um castigo este querer-te,
quando tudo que preciso é não te querer.
Eu paro e penso porque, não tem volta.
Então, eu coloco a mão em meu peito
e sinto o pulsar da própria vida
que dentro de mim em silêncio grita
pare, não dá mais !. E corro para ti.

____Joe Luigi
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98).